Cansei de ser Técnico de Segurança do Trabalho

Cansei de ser técnico de segurança do trabalhoVocê que já é Técnico de Segurança do Trabalho há algum tempo, já pensou alguma vez em mudar de profissão? Esta semana fui questionado sobre isso por um colega, devido às agruras de nossa profissão. Não podemos negar que em certos momentos o desânimo quer nos tomar, mas em outros, percebemos o quanto é importante nosso trabalho.

OS PROBLEMAS DO DIA A DIA

Aquela frase – “temos que matar um leão por dia”, se aplica perfeita à nossa rotina e nos torna verdadeiros heróis em busca do bem estar de pessoas que muitas vezes não se importam com isso.  

Os problemas podem ser variados, tais como:

  • Baixa ou inexistência cultura de segurança da empresa;
  • Funcionários com baixa escolaridade;
  • Falta de comprometimento da liderança;
  • Desmotivação da equipe por motivos financeiros (salários);
  • Falta de investimento em segurança; etc.

Só esses itens já são motivos que podem nos levar a pensar em desistir da carreira, mas o pior mesmo é quando encontramos alguém cometendo um desvio que acabou de ser comentado em um DDS por exemplo. Isso é um balde água fria sobre o nosso ânimo!

Segurança do Trabalho




O QUE NOS MOTIVA

Qualquer profissão tem suas dificuldades, mas a do Técnico de Segurança do Trabalho tem muitas, porém há momentos que somos surpreendidos por atitudes que fazem valer a pena nossa dedicação. Outro dia três funcionários resolveram, por livre e espontânea vontade, fazer uma performance no DDS. Foi algo bem simples, mas que demonstrou que nosso trabalho duro de quase um ano de conscientização e treinamentos, valeram a pena – os frutos começaram a aparecer. 

Isso nos motiva!! E ainda podemos citar outros motivos:

  • Quando um funcionário comenta que usou em sua casa o que aprendeu na empresa;
  • Quando alguém nos para na área para perguntar algo sobre segurança;
  • Quando o lider resolve um problema de segurança sem precisar de nossa intervenção;
  • Quando o gerente aceita nosso projeto e investe em segurança;
  • Quando olhamos para o quadro estatístico e vemos que estamos há muito tempo sem um acidente; etc.

Depois de mais de 20 anos de profissão, eu penso que seria um pouco tarde para mudar e posso afirmar que não me arrependo nem um pouco de quando decidi ser um Técnico de Segurança do Trabalho.

E você? Já pensou alguma vez sobre esse assunto?

Deixe sua opinião nos comentários!

Darcy Mendes Darcy Mendes (772 Posts)

Técnico em Segurança do Trabalho, graduado em Gestão Ambiental e especialização em Prevenção e Combate a Incêndio. Nas horas vagas sou músico e professor de violino!!!


22 thoughts on “Cansei de ser Técnico de Segurança do Trabalho

  1. Bom dia Darcy,
    Estou a 5 anos atuando como tst e, conforme os dias vão passando, tento me fortalecer para não abandonar de vez a profissão. Não me considero melhor ou pior que ninguém como profissional, só sei que minhas dificuldades são inúmeras e as chances de mudanças ou melhorias estão longe de acontecer. Muitos amigos da área estão depositando esperanças no E-Social, eu discordo. Estou consciente que a função de técnico, nas empresas que trabalhei são desconhecidas, meus chefes não sabem o que significa
    NR e, me encontro em conflito pessoal com falhas na questão de cultura de segurança do trabalho, temos o conhecimento, as leis, mas sou cúmplice da falta de cumprimento das leis.
    Continuamos sendo obrigatórios nas empresas (NR 4), caso contrário, a profissão estaria extinta. Somente algumas empresas colaboram com a segurança, elas registram o profissional e o congelam ou castram. Isso é como me sinto as vezes, castrada.
    Me sinto muito mal como pessoa, em saber da gravidade que certos riscos irão ocasionar futuramente na vida do colaborador e tudo que posso fazer é digitar e-mails para me respaldar legalmente. Muitos não temos verba pra nada, e os treinamentos com 1/3 das horas exigidas por lei. Se realmente quisessem segurança no trabalho, a 1º lei que teria que mudar é não sermos funcionários das Empresas e sim auditores fiscais, só assim seríamos respeitados e conseguiríamos fazer com que as normas fossem cumpridas. (Isso é o meu parecer). Por enquanto vou investir em cursos e futuramente pretendo trabalhar em consultorias, não mais fixo em empresa alguma.
    Sucesso a todos e Fé!

  2. Sou TST a 5 anos e atualmente trabalho em uma empresa do ramo de Telecomunicações. Enfrento diariamente uma briga ferrenha contra a desmotivação e frustração. Infelizmente a empresa que trabalho não investe em prevenção, pelo contrário, se dispõe a gastar o mínimo do mínimo com segurança do trabalho.
    Para ser sincero gosto da variedade de informações e conhecimento que o TST precisa ter, essa busca pelo conhecimento me fascina, porém, é deprimente e frustrante lutar por condições melhores de trabalho, conclamar a alta gestão para os benefícios que a empresa pode ter, caso invista na SST, e ver os olhares de desdém dessas pessoas…
    Na minha opinião, a situação é um pouquinho melhor, para colegas TST`s que laboram em empresas grandes que possuem uma cultura de investimento no setor e dão um pouco de carta branca para o desenvolvimento e aplicação de um Sistema de Gestão de SST. Diferente das empresas menores, principalmente as prestadoras de serviços que atuam como terceiras nas grandes unidades fabris e etc, porque essas aí só procuram potencializar os investimentos e o desenvolvimento de um bom Sistema de Gestão em SST, se porventura a contratante fiscalize de forma ferrenha, com ameaças de aplicação de multas contratuais ou até interrupção e cancelamento do contrato.
    Penso muito em sair dessa área, por ver muitas injustiças e outras questões muito mais graves… Infelizmente me vejo em dúvida se realmente quero sair, porque infelizmente ainda gosto de Segurança do Trabalho.

  3. Eu sou vou deixar desistir de ser TST, o dia que eu perder o último fôlego de vida.
    TST não é uma função é um estilo de vida.
    TST não é um cargo é uma obrigação.
    Entristecer talvez mas desistir jamais.

  4. Bom dia gostaria de uma ajuda estou recem formada e com dificuldades de entrar na area gostaria de saber se existe um outro curso que eu possa fazer pra me especializar e ter uma melhor oportunidade algo que seja paralelo ao tec seg do trabalho desde ja agradeço

  5. Bom dia Colegas!

    Já estou na área a mais de dez anos, agora com certeza desisti!
    trabalhamos para uma empreiteira na prestação de serviços para uma grande e poderosa multinacional e como já está virando moda, a empreiteira “faliu”. O acerto de tempo de serviço com todos foi parar na justiça, todos os eletricistas e auxiliares foram indenizados pela multinacional, empresa contratante, porém o Juiz não considerou que o Técnico de segurança prestou serviços a contratante, simplesmente decidiu que eu não deveria ou merecia ser indenizado! eu ainda questionei na audiência que sem a minha presença e sem o preenchimento de toda documentação (APR e PT) ninguém trabalharia, assim mesmo fique sem receber nada! fundo de garantia, salário atrasado, etc, etc. Agora basta! fui.

    1. Pois é Xará!!! Desse jeito fica difícil de trabalhar. Quer dizer que nós não somos importantes na obra, mas se não paralizarmos um trabalho que está em risco e alguém morrer, iremos preso!!! Será que esse juiz sabe o que é Segurança do Trabalho?
      Sinto muito colega!

  6. Estou na profissão há 28 anos. Na minha opinião é uma profissão maravilhosa. Ela oferece opções diversificadas, quer vc trabalhe em uma empresa e/ou tenha uma consultoria.
    Hoje tenho uma consultoria, formei minhas filhas uma inclusive, engenheira de segurança com sucesso.
    Mas a maior de todas beneces da profissão é ajudar o próximo, ver o resultado do trabalho quando um acidente é evitado, um ambiente de trabalho seguro, limpo e organizado, o trabalhador contente.
    Nestes meu anos de trabalho sempre procurei aperfeiçoar o máximo possível. Cursos profissionalizantes e qualificação ajudam muito.
    Mas o segredo do sucesso como em toda profissão é gostar do que se faz. No meu caso eu sempre amei a segurança, vivo a segurança e respiro a segurança em todos os momentos, o dinheiro nada mais é que o resultado de um trabalho bem feito.

  7. Bom dia!!!

    Trabalho há 4 anos na área, já pensei em desistir incontáveis vezes, até mesmo em mudar radicalmente, por exemplo de nunca mais trabalhar em indústrias… Continuo ainda na profissão, enfrentando os problemas citados no texto e algo mais ainda… A dificuldade se torna maior quando a empresa não tem a cultura de segurança do trabalho e os funcionários estão desanimados, tudo que se faz para procurar melhorar não vai adiante, e existe ainda aquela velha falácia: “Isto aqui não dá certo não!! Você não é o primeiro que tenta…”

    Um colega citou acima que “para ser Téc. Seg. é necessário ter vocação e quem é Técnico de verdade nunca desiste!” – Vocação pra sofrimento, tô fora!! Eu, particularmente, não chegarei a 10 anos de carreira como Téc. Seg., não quero, estou na facul, daqui a 5 anos estarei em outros ares, com outra função!

    Obrigado pelo texto, é exatamente tudo o que acontece no dia-a-dia e servem para que continuemos na labuta, pra mim, pelo menos por enquanto.

    Abraços – Parabéns pelo site e pelo espaço para desabafarmos.

    Vagner José

  8. Ola, eu ja pensei sim e parar , porque algumas leis são desfavoraveis para nós tecnicos. Ex: NR 05 na CIPA, temos que cumprir 50 % + 1 de votos do total de funcionarios, porém, a lei não obriga o colaborador a votar. Tambem a NR 32 temos algumas falhas, pois, quase todos os hospitais não cumprem essa norma, principalmente na parte de adornos.
    Dificil voce trabalhar e ser o vilão da história.
    Isso desanima as vezes e por isso temos que criar forças para seguir em frente e sermos um bom técnico, zelando pela segurança dos outros.
    do-divino@bol.com.br para quem quiser fazer contato. obrigado.

  9. Olá galera, estou ha alguns meses no meu primeiro emprego em uma empresa de pequeno porte (130 funcionários). Em uma empresa de transporte onde eu passo a semana toda e um prestador de serviços burocráticos na maioria das vezes vem aos sabados. Eu sou recem chegado/formado e bate uma vontade de desistir pois eu não tenho alguém para seguir os passos, é uma empresa que não tem muita cultura de segurança, então eu fico meio de mãos atadas e meu chefe sem querer investir na área … isso desanima qualquer um.
    Estou tentando começar uma rotina de segurança porém está complicado, pois não tenho um apoio do prestador que está aqui a mais tempo que eu, ele segura as informaçoes e trabalhos pra ele não ser dispensado, como posso trabalhar paralelo a ele sem parecer que quero “derrubá-lo” ?
    Desde já, agradeço !

  10. Em primeiro lugar meu amigos, ser Técnico de Segurança do Trabalho requer que a pessoa tenha vocação, pois como já falaram muitos é uma profissão muitas vezes ingrata, tem muitas pessoas que não compactuam com nos e muitas vezes são encarregados, gerentes e diretores, por isso que as vezes tem Técnico que pensa em sair da profissão, mas lembre-se um verdadeiro Técnico nunca desiste de sua profissão, ela e árdua mais e linda.

  11. Bom dia.

    Eu weslei caique sou atuante na área de segurança do trabalho a dois anos, e nestes últimos anos, meses e dias penso muito em largar da profissão, pois ser uma área que desgasta muita nossa pessoa, você entrar no seu local de trabalho (empresa) e ficar sobre a responsabilidade de aproximadamente 1000 colaboradores isso se torna mite desgastante no decorrer dos anos e mais ainda quando a empresa que atua não da muito apoia a segurança do trabalho.

  12. Bom dia senhor(as)(es).
    Iniciei nessa área em de junho de 1973, como AUXILIAR DE INSTRUTOR DE SEGURANÇA DO TRABALHO e depois como INSTRUTOR DE SEGURANÇA DO TRABALHO; SUPERVISOR DE SEGURANÇA DO TRABALHO e me aposentei em 2003, como TÉCNICO ESPECIALISTA DE SEGURANÇA DO TRABALHO. Continuei no mercado até 31 de março de 2011 e só não estou até hoje, PORQUE NÃO ME INTERESSA TRABALHAR COM CARTEIRA ASSINADA, com o que estão oferecendo, mesmo assim, atendo Empresas parceiras, ministrando cursos, em especial, SEGURANÇA COM ELETRICIDADE, dentre outros da Portaria 3214.
    Trabalhei numa Empresa do Sistema Elétrico de Potência, referência em Segurança do Trabalho.
    NOSSA ÁREA É ASSIM MESMO E MUITAS EMPRESAS TÊM PROFISSIONAIS EM SEGURANÇA DO TRABALHO PORQUE A LEI ASSIM OS EXIGEM!
    Essa é uma atividade para quem quer e PODE ESTUDAR! Ou como muitos fazem, não encontrar trabalho em outras atividades, FAZEM O CURSO DE TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO, ÀS VEZES SEM VOCAÇÃO, para trabalhar como tal.
    Em resumo, CONTINUEM TRABALHANDO; NÃO ASSUMAM RESPONSABILIDADES QUE NÃO SÃO SUAS; RISCO IMINENTE E RECONHECIDO, PARE A ATIVIDADE OU INDUZA O RESPONSÁVEL A FAZÊ-LO; EVIDENCIE TUDO, DE PREFERÊNCIA POR ESCRITO; E O MAIS IMPORTANTE: CONTINUEM ESTUDANDO E SE APERFEIÇOANDO! HOJE NO MERCADO DE TRABALHO VENCE QUEM ESTÁ PREPARADO PARA ELE!
    BOA SORTE
    Francisco Juca da Silva
    Bacharel e Licenciado em Física;
    QUASE Engenheiro Eletricista (rs) – 3/4 do curso concluído;
    Técnico em Eletricidade
    TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO.

  13. Bm dia a todos..

    Gostei do assunto !!

    Eu vejo que os TST´s do Brasil sofrem este desgastes, primeiro pela maneira no qual vendemos a ideia de segurança.. Ela é feita de futuro..A prevenção é algo futurista (mesmo atendendo no presente..) e os seres humanos atuais são imediatistas.. Logo.. eles só entendem que PREVENÇÃO é não é caro, não é tempo jogado fora, não é errado…(pensamentos dos que não atendem as nossas necessidade de prevenção…) quando o presente e o passado aparece com o acidente… a morte.. a dor….

    Mas.. sobre a carreira.. a melhor dica é nicho de mercado.. Eu por exemplo trabalho com dois.. transporte e social… Eu faço o melhor entendimento possivel com nossas NR (da 01 ate a infinita que vira um dia.. heheheheh) pois mesmo a Mineração.. ou a Portuaria… pode atender numa coisa..no meu nicho de mercado.. Riscos são riscos e eles veem em qualquer area.. E por isto não investi meu tempo de aprendizagem no que seria normal em nossa classe.. por exemplo… Fazer um curso de engenharia para ser Eng-ST… (nada contra aos nobres colegas Eng-ST) mas.. eu vejo que um TST, profissional de saúde.. deve entender de gente.. de pessoas.. de erros humanos.. e de como será o apos…o apos o acidente…. Nossa rica profissão é feita no antes, mas é fazendo uma perfeita linha de vida (passado, presente e futuro) poderemos ser melhores gestores em saúde ocupacional…pois apenas investir numa visão.. nos deixa desmotivado..

    Assim.. eu estou fazendo cursos de operação de maquinas.. e faculdade de Serviço Social.. saindo dos rotulos de segurança do trabalho… focado e exclusivo.. para ser um TST mais humano.. mais operador de veiculo..(para entender a realidade do condutor veicular e seus riscos, queixas, etc) e mais social no pos acidentes, pois a maioria das pessoas que sofrem acidentes não entendem de direito e deveres… e isto é uma lacuna no mercado da prevenção (TST especializado no Antes, Durante e no Pós acidente…)

    Abraços

    CJ
    Pelotas/RS

  14. Sou Técnico de Segurança a 21 anos e quando comecei sofri muito com a falta de cultura de segurança. No início haviam “chefes” que não queriam minha presença nos setores sem que eu pedisse autorização antes para entrar, era o cúmulo, mas era a realidade da época. Hoje tenho o prazer de dizer que os “gestores” são quem nos cobram a visita em seus setores. Para chegar nesse estágio é preciso ter muita paciência e persistência, é preciso que acreditemos em nossa profissão. Nosso público é muito carente de conhecimento em segurança do trabalho, cabe a nós, com paciência e persistência, educá-los para uma cultura de segurança.
    Um detalhe importante é o que a colega Camila citou acima, “temos que gostar do que fazemos” e sermos exemplos para nossos colegas de trabalho. É comum vermos profissionais da área de Segurança, mesmo que seja fora da área de trabalho, cometendo atos contrários ao que se prega no ambiente de trabalho.
    Nossa missão é nobre, pois cuidamos de vidas e temos que ter isso sempre em mente. Abraço a todos!

  15. Bom dia Darcy,
    Esta é a nossa dura realidade, infelizmente muitas empresas ainda não perceberam o quanto é importante o trabalho deste profissional. Onde trabalho convivo diariamente com situações que me fazem refletir sobre a escolha que fiz, não raramente penso em desistir e procurar uma profissão que realmente tenha um reconhecimento e valorização mas não posso desistir neste momento já que lutei tanto para chegar onde estou. Espero confiante que as pessoas um dia possam mudar sua visão sobre o profissional de Segurança e passem a adotar uma postura prevencionista como vemos em outros países onde a cultura e a disciplina das pessoas possibilitou o seu desenvolvimento com melhor qualidade de vida.
    Um abraço,
    Ediovany Gambarine
    Téc. Segurança Trabalho

  16. Bom dia caro Darcy.
    Eu estou a pouco tempo na profissão, mas com alguns problemas que andam acontecendo já parei sim pra pensar se optei pelo certo, mas a conclusão final é sempre a mesma, SIM EU QUERO CONTINUAR SENDO TST!
    As dificuldades nos desmotivam sim, os erros cometidos propositalmente, as gambiarras e etc… Mas quando se gosta do que se faz, a percepção muda. Espero continuar com esse pensamento e os que gostam da profissão, não desistam!
    Fiquem com Deus 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você é um robô? *