Como elaborar um relatorio de acidentes

Hoje vamos falar sobre como elaborar um Relatório de Acidentes. Esse é um documento que todo Técnico de Segurança do Trabalho terá que fazer, cedo ou tarde.

Já dei dicas que podem ajudar a elaborar um bom relatório; como essa por exemplo: Mandamento nº 8 – Ser bom em redação
A maioria das empresas já tem um tipo de relatório conforme suas necessidades, mas se você quiser, pode baixar esse modelo – que eu considero muito bom – e adaptar para sua realidade.
como elaborar um relatório de acidentes
Depois dessa pequena introdução, vamos ao trabalho:
Você acabou de se formar, conseguiu um emprego e está em frente ao computador (se tiver um, porque tem muitos colegas que não tem esse privilégio), e de repente é chamado (a) para atender uma ocorrência. Calma! Não precisa correr, mas tem que ser rápido se quiser elaborar um bom relatório.
Principais passos para a elaboração do relatório
1 – Se possível, converse com o acidentado e consiga o máximo de informações, tais como:
 
  • Qual era a tarefa que estava sendo executada;
  • Peça para ele descrever o que aconteceu;
  • Quantas pessoas trabalhavam na atividade;
  • Nome do responsável direto por ele;

2 – No local da ocorrência:

  • Verifique a área com todo cuidado a procura de detalhes que podem ter levado ao acidente (isso faz parte da investigação, mas se não for feito na hora, o cenário pode ser mudado e você poderá perder dados importantes);
  • Fotografe tudo que achar necessário;
  • Converse com as testemunhas (se houver);
  • Converse com o responsável;
  • Pegue os dados do acidentado, tais como: nome completo, idade, matrícula, função, tempo na empresa e na função;
  • Pergunte se o funcionário demonstrou ter algum problema nos últimos dias e se o mesmo faltou ao trabalho;
  • Qual o motivo da falta;Como elaborar um relatório de acidente
3 – Divulgando a ocorrência (apenas interno):
Cada empresa tem sua forma de divulgação de ocorrências, mas se você for o responsável pela divulgação, então tenha certeza do que vai escrerver, pois você será cobrado depois.
  • Divulgação rápida – É aquele comunicado (normalmente por email) para todos os gerentes da empresa (é enviado logo após o ocorrido); 
  • Escreva apenas o básico: Nome do acidentado; Departamento/Seção; Função; Data da ocorrência; Descrição suscinta da ocorrência; Tipo de lesão;
  • Divulgação detalhada – É o relatório em si (pode ser usado qualquer modelo de relatório), mas é imprescindível que já esteja acompanhado da Análise da Ocorrência com as causas (básicas e raíz) e o Plano de Ação.
Lembrando que, para qualquer um dos casos acima, serão utilizadas as informações que você colheu logo após a ocorrência.
Para o Relatório Final, é importante contar com a Análise da Ocorrência feita por um grupo de pessoas e não apenas pelo Técnico. As ferramentas para análise pode ser a que melhor lhe atender ou, se for o caso, aquela que a empresa já adota; tipo Árvore das causas, 5 Porquês, Ishikawa, etc…
Por enquanto é isso, mas se você já trabalha como TST (e já passou por isso), pode deixar sua sugestão e críticas nos comentários.

Darcy Mendes Darcy Mendes (786 Posts)

Técnico em Segurança do Trabalho, graduado em Gestão Ambiental e especialização em Prevenção e Combate a Incêndio.
Nas horas vagas sou músico e professor de violino!!!


23 thoughts on “Como elaborar um relatorio de acidentes

  1. Em uma.a análise de acidente na empresa em que trabalho, apos a divulgação da análise o encarregado e o patrão criticaram os detalhes do acidente, pois diziam que haviam falha de qualidade do material utilizado e optaram por divulgar apenas os fatores individuais como estresse sono causado pelo risco ergonômico de trabalho em turno e noturno tendo como consequência a falta de atenção julgando ser um fator pessoal e atribuindo a culpa do acidente ao trabalhador, orientei aos superiores que o entendimento deles sobre os fatores de riscos estava equivocado, e, eu, sendo acusado de não vestir a camisa da empresa fiz as devidas orientações: informando que o fator material seria muito mais simples de explicar e resolver que o fator individual, pois uma vez que o empregado sofre de estresse ou sono no trabalho é por consequência de riscos ambientais como ruído, carga horária de trabalho excessiva e o MTE veria com outros olhos o simples fato de tirar a “culpa do empregado” e atribuir a culpa ao material utilizado. Esse relatório foi solicitado pelo Cerest regional. O que vc acha? O que eu deveria ter feito ou fazer após o protocolo do relatório?

    1. Olá Anderson,

      A investigação do acidente deve ser feita por uma comissão e, nesse caso, a decisão será somente sobre as ações a serem tomadas após a conclusão do acidente. Não cabe a ninguém decidir o que é melhor ou o que é pior.
      Pelo que entendi, você não concorda com a decisão da empresa, pois sabe qual é a causa raiz do acidente. No entanto, você é funcionário e deve acatar essa decisão, porém deixando claro que não concorda. Ja fiz isso certa vez!! Não creio que haja muito o que fazer no momento. Agora é esperar pelas consequências e depois partir para as ações necessárias.
      Seria importante que todos (empresa) entendessem que o objetivo da investigação não é procurar culpados, mas sim uma forma de evitar novas ocorrências semelhantes aconteçam. Infelizmente ainda há muita gente que não pensa assim!! É por isso que osa acidentes continuam a acontecer!!!
      Nós prevencionistas temos que trabalhar naquilo que está ao nosso alcance: conscientização para mudar comportamentos!!

  2. Boa tarde prezados prevencionistas, gostei bastante da explicação, é bom lembrar que depende muito do preparo psicológico do Técnico pois as vezes o senário não satisfatório. boa tarde

  3. Caríssimo Dary,
    sei que és uma pessoa que percebes da matéria, dai solicitar a tua ajuda neste sentido
    Sou técnico recém formado na área de segurança, e gostaria de saber qual é procedimento para o armazenamento e destruição dos seguintes produtos:
    1. Resíduos de óleos queimados
    2. Baterias
    3. Pneus
    Por favor agradecia muito que me pudesses ajudar neste sentido

    1. Olá Paulo
      Na empresa onde trabalho nós destinamos esses tipos de resíduos (temos tudo isso que vc citou), através de empresas especializadas. É a única maneira de dar um destino final adequado e sem correr riscos de sansões por parte dos órgãos ambientais. Se quiser o nome das empresas eu posso te passar.

  4. olá boa noite eu acabei de sai da escola e estou em busca de um estágio na área de técnico em seguraçna no trabalho e preciso está atualizado com relação aõs relatórios de acidentente obrigado…..

  5. Estava precisando uma ajuda em um trabalho de Estatistica Tenho os Dados mas nao sei como comecar se alguem puder ajudar com um Escopo de um trabalho para ajudar!!!Nao irei copiar o trabalho apenas montar o meu conforme o escopo p q os dados tem que serem reais e tem q ser das Empresas ou Hospitais aki da Regiao

  6. olá amigo TST!!!! estarei começando agora neste semana!!!!tenho hum detalhos além do trabalho como PPA,PCMSO entres roteiro diário!!!!! gostaria mas informçãoes tipo assim só pra mim não ficar mto em huma coisa só!!!!qual tecnica mas utilizada roteiro diário inspeçao segurança tudo é elaborado no documento neh!!!!!

  7. FICO MUITO GRATO POR SABER QUE VCS TEM ESSE SITE DE HST PARA NOS DAR UM SUPORTE COMO RECENS TST!!!! ESPERO MELHORIA NO SITE DIA POIS DIA!!! OBRIGADOOOOOOOO!!!!!!

  8. OLá NeyO estágio depende muito de cada empresa. Normalmente as empresas já têm um programa pré definido. O resto é no dia-a-dia mesmo. Depende do momento em que a empresa está vivendo também. Eu sempre digo para os estagiários que o mais importante é aproveitar ao máximo o que os profissionais têm para dar. Cada um é cada um. Procure pegar o melhor de cada um para que vc possa aplicar no futuro.

  9. Olá Darcy boa noite!!Estou no 3 módulo do curso de TST e tenho uma dúvida com relação ao estágio.Quais são os primeiros passos? O que devo fazer, além de observar?

  10. Parabéns pelo trabalho! É importante o diálogo com os colegas da área prevencionista, é desta forma que amadurecemos nosso profissional…

  11. Olá FranCom certeza não é a idade. Tenho muitos(as) colegas que estão empregados (as)e já passaram dos 40. No entanto, a questão da experiência é bastante problemática para se trabalhar em empresas "fixas". Fica mais fácil de se conseguir um emprego em empresas prestadoras de serviços em grandes empresas. Nem que seja por um período curto, mas já servirá como experiência e, principalmente, para se conseguir novos contatos.

  12. ola darcy sou recem formada no curso TST estou estagiando no bombeiro estou adquirindo muita experiencia pois lá nos acompanhamos na parte de vistoriaum abraço Darcy

  13. 0la darcy faz dois anos que me formei em tst ja deixei varios curriculos mas ainda não consegui nada,sera pela minha idade 38,de-me uma dica,um abraço,Fran Ribeiro

  14. Adoro seus artigos, sou recem contratada em uma empresa e acabei de me formar, estou com um grande problema, existe empilhadeira que é movida a gás e o local para guardar as botijas é inadequado( interno no mesmo local onde ocorre os trabalhos) alem da NR 20 qual outra norma posso utilizar para solucionar tal problema tipo ABNT. Certa de conta com ajuda desde já agradeço.

  15. Darcytodas as suas dicas foram 10. Mas se me permite, gostaria de acrescentar uma opinião.Penso que agilidade também é importante. isso faz não perder detalhes por ter pego as informações mais "frescas" na cabeça. Então logo que ocorra o acidente tão logo seja possível devemos começar a analisar a ocorrência.Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *