Meu primeiro dia como TST – A empresa não disponibiliza recursos para segurança do trabalho

Vamos para o quarto artigo da série MEU PRIMEIRO DIA COMO TST. SE não leu ainda, aproveite e leia também o MEU PRIMEIRO DIA COMO TST – A EMPRESA NÃO TEM SESMT .
O artigo de hoje é sobre – Não existe recursos para a área de Segurança e Saúde no Trabalho. Até já dei uma pincelada sobre esse tema nos outros artigos, mas vamos tratar com mais detalhes e citar exemplos que podem lhe ajudar a enfrentar essa situação.Meu primeiro dia como TST
Em primeiro lugar vamos imaginar que, pelo menos para o básico, a empresa tem que ter dinheiro. Caso contrário, esse  não é um bom lugar para fazermos nosso trabalho e o melhor é partir para outra!
Quando falo de recursos, estou querendo dizer uma verba do orçamento anual da empresa, destinada às questões de segurança e saúde no trabalho.
Vamos citar apenas alguns exemplos em que você vai precisar de dinheiro para desenvolver seu trabalho a contento:
  • Comunicação (cartazes, faixas, jornal, etc…);
  • SIPAT (não dá para fazer uma SIPAT decente sem dinheiro);
  • Campanhas (AIDS, EPI e outras);
  • Sinalização (de trânsito – vertical e horizontal, outras sinalizações);
  • Formulários (APR, RP, ORT, etc…);
  • EPI;
  • Treinamentos (alguns são obrigatórios);
  • Equipamentos de bloqueio de energias;
  • Sistemas de segurança para trabalhos em altura (incluindo material para resgate);
  • Equipamentos para trabalhos em espaço confinado (resgate e avaliações ambientais);
Isso pode assustar um pouco, mas é óbvio que tem muita coisa que citei acima e pode perfeitamente não ser necessário na sua empresa. Tudo vai depender do setor em que você está trabalhando.
O que é possível fazer sem gastar nada ou quase nada?
  • Cartazes/Jornal – Se você não for um bom desenhista, procure alguém na empresa que tenha esse talento (sempre tem algum talento escondido) e peça para ele criar as artes. Use a impressora para imprimir seus cartazes personalizados (o custo será bem menor que uma gráfica);
  • SIPAT – Se existir terceiros na empresa, peça brindes para distribuir; monte uma equipe de teatro (leia meu texto Organizando uma SIPAT);
  • Campanhas – AIDS – Procure por empresas que façam palestras gratuitas; EPI – peça para um fornecedor fazer palestras;
  • Sinalização – Aqui não é possível economizar muita coisa, mas vale a criatividade e talvez você consiga alguém para pintar as faixas de segurança e outras sinalizações horizontais. Mesmo assim, terá que comprar as tintas. Quanto à sinalização vertical (a menos que você tenha um pintor letrista na empresa), terá que pagar para fazer. Uma dica: procure por oficinas da sua cidade. Vai sair mais barato que comprar das empresas especializadas. Mas cuidado para não comprar gato por lebre e acabar saindo mais caro;
  • EPI – Também não dá para economizar nesta parte sob o risco de perder dinheiro (Se a compra for feita pelo setor de compras, acompanhe de perto todo o processo. O pessoal de compras não está muito preocupado com a qualidade e sim com o preço. Isso pode dar muita dor de cabeça no futuro.)
  • Treinamentos – Veja quais poderão ser feitos pela própria empresa (você ou outras pessoas qualificadas);

Para os outros itens não tem o que fazer. Se forem necessários (bloqueio – com certeza será), tem que investir algum dinheiro se quiser manter os trabalhadores em segurança.

Esse é um tema bastante complexo e que influirá diretamente nos resultados de segurança da empresa, porém ainda é difícil convencer alguns empresários de que são gastos que se converterão em ganhos no futuro. Cabe a você fazer esse trabalho de convencimento, usando todos os meios possíveis para provar que investir em segurança do trabalho é sinônimo de lucro e não de gasto.

Por enquanto é só!!!
Deixem seus comentários, críticas e sugestões!!

GLOSSÁRIO

SIPAT – Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho.
AIDS – Síndrome da Imunodeficiência Adquirida.
RP – Registro de Prevenção.
ORTObsevação de Riscos no Trabalho.
Darcy Mendes Darcy Mendes (772 Posts)

Técnico em Segurança do Trabalho, graduado em Gestão Ambiental e especialização em Prevenção e Combate a Incêndio. Nas horas vagas sou músico e professor de violino!!!


5 thoughts on “Meu primeiro dia como TST – A empresa não disponibiliza recursos para segurança do trabalho

  1. OI Luciana Para empresas menores é possível fazer do seu jeito, mas em uma empresa com 5000 funcionários o negócio se complica. Só para se ter uma ideia, são os próprios funcionários que preenchem a APR. Nós apenas fiscalizamos os trabalhos por amostragem. Não dá para ver tudo!!!

  2. Na empresa onde trabalho montei uma APR no word, e toda vez que vamos realizar um trabalho em campo, juntamente com as Ordens de Serviço, imprimimos também a APR. É simples e só temos o custo com a folha A4.

  3. Olá colega. Se você resolver fazer uma APR de bolso, vai ver o quanto é caro o serviço com gráfica, pois vai precisar fazer um bloco para cada funcionário. Sem esquecer que a hora que acabar o bloco, vai ter que fazer de novo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você é um robô? *