Nove regras para monitoramento atmosférico em espaço confinado

nove regras para monitoramento em espaço confinado

1- A primeira regra para se fazer um monitoramento de um espaço confinado é monitorar na ordem correta (dos possíveis gases). Isso se o seu equipamento não for capaz de medir vários gases simultaneamente.
A maior parte dos aparelhos medem no mínimo 4 gases e nesse caso não há com o que se preocupar.

2- A segunda regra diz respeito à densidade de vapor:

Gases que são mais pesados do que o ar – aqueles com uma densidade de vapor maior do que 1 tenderá a ficar baixa.

Os gases que são mais leves do que o ar – aqueles com uma densidade de vapor inferior a 1 tenderá a aumentar e se acumulam em armadilhas ao longo da parte superior do espaço.

Os gases que pesam aproximadamente o mesmo que o ar com uma densidade de vapor de cerca de 1 – tendem a dispersar no interior da atmosfera.

3- A terceira regra de monitoramento atmosférico é conhecer as limitações do seu monitor. Limitações que você deve estar familiarizado e que incluem a sensibilidade do monitor, as condições que pode detectar, ou seletividade, a porcentagem em volume no ar necessário para dar um resultado preciso.

4- A quarta regra de monitoramento atmosférico é conhecer os parâmetros operacionais do seu monitor. Parâmetros operacionais podem incluir o período de tempo em que os sensores são confiáveis, o número de bombas que são necessárias quando se utiliza um monitor que tem uma aspiração manual.

5- A quinta regra de monitoramento atmosférico é perceber que muitos gases inflamáveis também são tóxicos.

A presença de perigos tóxicos no ar pode ser totalmente independente das concentrações de oxigênio e contaminantes inflamáveis. Muitos riscos atmosféricos, mesmo quando reduzida abaixo dos níveis inflamáveis, podem ainda ser tóxico. Outros, quando reduzidos abaixo dos níveis tóxicos, podem ser asfixiantes.

6- Regra seis é lembrar que alguns vapores migram para o exterior do espaço, como se estivessem procurando aberturas para o exterior. Em outras palavras, estes vapores estão vindo para você! É preciso ter um grande cuidado em torno de substâncias como estas.

E por isso que você precisa se aproximar de um espaço desconhecido com muita cautela, usando o papel pH e monitores para determinar se o espaço está emitindo gases tóxicos ou inflamáveis com alta pressão de vapor.

7- Regra sete é lembrar de calibrar o monitor em uma área com ar limpo. Antes de usar qualquer equipamento de monitoramento, certificar-se de que ele está zerado para os níveis de inflamabilidade e toxicidade, e que está lendo 20,9 % de O2.

Seguir as recomendações do fabricante para o uso do aparelho.

8- Regra oito – é obter a amostra de uma pequena abertura no espaço antes de abri-lo e posicionar-se de costas para o vento a partir do espaço durante o monitoramento. Na maioria dos casos quando são chamados a um incidente de espaço confinado, ele já estará aberto. Mas se não estiver, siga a regra cima.

Ficar de costas para o vento de um espaço também ajuda a garantir que não será tomado por gases tóxicos durante o monitoramento. Também é prudente, usar proteção respiratória adequada em determinados casos.

9- A regra nove para monitoramento atmosférico é certificar-se que todas as baterias são carregadas suficientemente após cada utilização. É uma boa idéia definir alguém para realizar uma verificação da bateria durante cada turno.

Darcy Mendes Darcy Mendes (772 Posts)

Técnico em Segurança do Trabalho, graduado em Gestão Ambiental e especialização em Prevenção e Combate a Incêndio. Nas horas vagas sou músico e professor de violino!!!


3 thoughts on “Nove regras para monitoramento atmosférico em espaço confinado

  1. Gostaria de receber e compartilhar questões sobre Higiêne Ocupacional, Segurança do Trabalho e Meio Ambiente

    Amanda Pereita TST e Tecnóloga em Gestão Ambiental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você é um robô? *