Os vários tipos de Inspeções de segurança – Inspeção de atividades críticas ou riscos críticos

Os vários tipos de Inspeções de segurança – Inspeção de atividades críticas ou riscos críticos

Mais uma postagem da série os vários tipos de inspeções

Dando continuidade no assunto sobre os vários tipos de inspeções de segurança (veja o artigo – Inspeção de rotina), hoje falaremos sobre a Inspeção de atividades críticas ou riscos críticos.
Diferentemente da Inspeção de Rotina, a Inspeção de Atividades Críticas deve ter um objetivo específico e seguir um cronograma anual de inspeções.
  • O que deve ser inspecionado

Como estamos de tratando apenas de atividades críticas, então é recomendável que seja inspecionado apenas um tipo de risco crítico por vez. Nada impede que sejam detectados outros riscos, mas o foco principal deve ser a atividade escolhida.

  • Fazendo um parêntesis para comentar sobre os procedimentos escritos

(Este é um assunto que merece um artigo específico e que tentarei escrever futuramente.)

É imprescindível que a empresa tenha Procedimentos Escritos para todas as atividades críticas desenvolvidas na empresa. Veja alguns riscos que devem ser considerados como críticos:
– Trabalho em Altura;
– Trabalho em espaço confinado;
– Cargas Suspensas;
– Trabalho a quente;
– Metais líquidos;
– Bloqueio de energia;
– Veículos;
– Equipamentos móveis;
– Escavações; 
– Gases pressurizados;
Podem ter outros dependendo das atividades desenvolvidas em cada empresa.
Conforme citei anteriormente, para cada item acima deve existir um procedimento escrito seguindo um roteiro que envolve:
– Definição dos Objetivos;
– Áreas aplicáveis;
– Referências;
– Elaboração, Verificação e Aprovação do documento;
– Considerações Gerais:
– Atividades/Responsabilidades;
– Anexos;
– Formulários;
  • Voltando para as inspeções de atividades críticas

Escolha uma atividade e saia à luta. É recomendável que haja lugar para fotos no relatório da inspeção.

Leve o procedimento e procure seguir os itens ali descritos. Esse tipo de inspeção tem um objetivo específico e isso torna muito mais fácil de ser realizado. Em quase todas as atividades de risco crítico tem um check-list que pode ser consultado durante a inspeção para detecção de possíveis não conformidades anotadas pelos operadores.
Quanto à postura do Técnico de Segurança durante a inspeção, não muda nada. Deve seguir o que já citamos no artigo Inspeção de Rotina.
Outro ponto importante é que, na Inspeção de Atividades Críticas deve ter os campos para definição das ações, responsáveis e prazos para resolução do item não conforme. Isso está previsto na linha Atividades/Responsabilidades do Procedimento Escrito. 
Ao final da inspeção todos os envolvidos devem assinar em campo próprio do formulário e este arquivado para futuras auditorias das não conformidades.
  • Conclusão

Assim como a Inspeção de Rotina, este tipo de inspeção é de grande utilidade para a empresa. Por tratar-se de riscos críticos, a inspeção tem importância relevante na prevenção de acidentes na área operacional.

Se os procedimentos estiverem bem implantados e sendo seguidos corretamente, é possível que as inspeções não tenham tantos itens para serem corrigidos. O ideal é que não se encontre item algum, mas isso é um trabalho que envolve tempo e muito investimento em equipamentos e treinamentos dos colaboradores.
Enfim, este tipo de inspeção é basicamente uma auditoria dos procedimentos escritos. Quanto mais se audita, mais próximo do ideal chegamos. 
Quando não houver mais nada para ser corrigido, podemos afirmar que essa empresa é Word Class em Segurança do Trabalho.
 
Próximo tema: Os vários tipos de Inspeções de segurança – Inspeção Gerencial
Darcy Mendes Darcy Mendes (784 Posts)

Técnico em Segurança do Trabalho, graduado em Gestão Ambiental e especialização em Prevenção e Combate a Incêndio. Nas horas vagas sou músico e professor de violino!!!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *