Riscos da exposição ao monóxido de carbono

Quem trabalha em empresas que possui muitos espaços confinados, pode se deparar com alguns tipos de gases em suas avaliações atmosféricas e um que encontramos com facilidade é o monóxido de carbono. Por isso é muito importante quais são as características e riscos da exposição ao monóxido de carbono.

Leitura que indico: Nove regras para monitoramento atmosférico em espaço confinado

Riscos-do-monóxido-de-carbono.jpgO monóxido de carbono (CO) é um gás incolor, inodoro e tóxico, que é produzido predominantemente por combustão incompleta de materiais contendo carbono. A combustão incompleta ocorre quando o oxigênio insuficiente é utilizado no processo de queima de combustível (hidrocarbonetos). Consequentemente, mais monóxido de carbono é emitido. Alguns exemplos disso são os seguintes: escapamentos de veículos, fornos de queima de combustível, usinas de energia coma a queima de carvão, pequenos motores a gasolina, geradores movidos a gasolina portáteis, lavadoras elétricas, lareiras, churrasqueiras a carvão, motores marítimos, empilhadeiras, aquecedores movidos a gás propano, gás aquecedores de água e aquecedores a querosene.

A exposição ao monóxido de carbono impede a capacidade do sangue de transportar oxigênio para os tecidos do corpo e órgãos vitais. Quando o monóxido de carbono é inalado, combina com a hemoglobina (um componente ferro-proteína dos glóbulos vermelhos), produzindo carboxihemoglobina (COHb), o que diminui muito a capacidade de transporte de oxigênio da hemoglobina. A afinidade de ligação da hemoglobina com o monóxido de carbono é 300 vezes maior do que a sua afinidade com o oxigênio. Como resultado disso, pequenas quantidades de monóxido de carbono pode reduzir drasticamente a capacidade da hemoglobina de transportar oxigênio. 

Os sintomas mais comuns da exposição ao monóxido de carbono são dor de cabeça, náuseas, respiração rápida, irritação na garganta, tosse, fraqueza, cansaço, tontura e confusão. Hipóxia (falta de oxigênio grave) devido a envenenamento por monóxido de carbono aguda pode resultar em efeitos neurológicos reversíveis, mas longas exposições pode resultar efeitos neurológicos irreversíveis (dano cerebral) ou cardiológica (danos ao coração). Acima de 400 PPM pode matar por asfixia.

Darcy Mendes Darcy Mendes (772 Posts)

Técnico em Segurança do Trabalho, graduado em Gestão Ambiental e especialização em Prevenção e Combate a Incêndio. Nas horas vagas sou músico e professor de violino!!!


5 thoughts on “Riscos da exposição ao monóxido de carbono

  1. BOA TARDE
    ME CHAMO ANA CELIA
    LENDO SEUS TRABALHO MUITO BONS, ME AJUDA MUITO, GOSTARIA DE SABER SE VC TEM ALGUM MODELO DE ANALISE GLOBAL DE PPRA, QUE POSSA ME AJUDAR.
    DESDE JA MUITO OBRIGADO

  2. boa noite, ja comprei de vc a coletana segurança do trabalho, hoje estou fazendo estagio em uma empresa, e gostaria de saber se vc tem modelos de documentos q o técnico precisa saber fazer, e ter pronto quando a fiscalização pedir, se tiver modelos entre em contato por favor, desde já meu muito obrigado!

    1. Olá Jorge

      Tem muitos documentos e vai depender muito de cada empresa. O básico é manter registro de todos os desvios encontrados (você mesmo pode criar um formulário) e registrar as ações implementadas.
      Livro da CIPA com registro das ATAS. Tem também o livro de registros das visitas do MTE.
      Ficaria mais fácil se vc tivesse ideia do tipo de formulário que vc quer e aí eu poderia ver no que posso te ajudar.

      Abs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você é um robô? *