Técnicas de abordagem para identificar e eliminar falhas.

Técnicas de abordagem para identificar e eliminar falhas.

Aplicando as técnicas de abordagem corretamente

Neste artigo vou apresentar algumas técnicas de abordagem para ajudar no dia-a-dia dos prevencionistas em suas inspeções de rotina.
Quando olhamos para uma situação de trabalho, nem sempre identificamos de imediato o que realmente está acontecendo. Embora tenhamos a idéia de que algo não está correto, muitas vezes o risco maior pode estar escondido. A correta identificação dessas falhas depende de como você fará a abordagem nessa situação. Muitas vezes vi profissionais de segurança usarem de seu poder para tentar corrigir uma situação e, além de não conseguir sanar a falha, provavelmente deixaram de notar outras itens de maior gravidade.
Partindo do pressuposto que já identificamos alguma falha, é imprescindível que hajamos de forma natural e educada para que possamos tirar proveito do momento e assim levantar outros fatores de risco no local. Para isso vamos usar algumas técnicas de abordagem conforme os itens abaixo:
1- Ao chegarmos ao local em que se está executando uma tarefa, vamos primeiro observar a área de modo geral;
2- É importante nesse momento, observar a área como um todo, ou seja, equipamentos e também os funcionários que ali trabalham;
3- Procuramos atrair a atenção da pessoa sem, no entanto colocá-la em risco. Jamais grite. Coloque-se em uma posição em que o funcionário possa vê-lo;
4- Assim que o trabalho for paralisado, aproxime-se. Se a pessoa não lhe conhecer, identifique-se e cumprimente-a. Isso faz parte da educação e também torna o diálogo mais agradável;
5- Procure elogiar o comportamento da pessoa ressaltando os pontos positivos da situação. Jamais chegue falando que algo está errado. Isso faz com que a pessoa se feche e não diga mais nada;
6- Durante a conversa, tente fazer com que a própria pessoa fale o que é que está errado em sua tarefa. Provavelmente neste momento ele já estará totalmente “desarmado” e, portanto indicará até os problemas que você não estava vendo;
7- Lembre-se! O ponto principal não é o que a pessoa está fazendo de errado, mas sim, as conseqüências do ato. Seja ele consciente ou não;
8- Se você seguiu os itens anteriores, possivelmente seu interlocutor dará sugestões de melhorias para sua área de trabalho. Se isto não acontecer naturalmente, pergunte o que pode ser feito para deixar sua área mais segura;
9- Importantíssimo! Ao despedir-se, agradeça pela cooperação. Se você esquecer-se de agradecer, de nada terá adiantado seguir os oito itens anteriores e;
10- Seja sempre educado. Jamais altere sua voz. Mesmo em situações difíceis mantenha-se sereno. Mostre que você só quer ajudar. Se a pessoa se alterar e a situação não for de risco iminente, volte mais tarde. Lembre-se: esse pode não ser o momento oportuno para a abordagem.
É interessante ressaltar que não existe uma fórmula perfeita de abordagem, o que apresentamos aqui são algumas técnicas que podem ser complementadas com os conhecimentos e experiências de cada um.
Darcy Mendes Darcy Mendes (772 Posts)

Técnico em Segurança do Trabalho, graduado em Gestão Ambiental e especialização em Prevenção e Combate a Incêndio. Nas horas vagas sou músico e professor de violino!!!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você é um robô? *