Bacharelado em segurança do trabalho – o que é isso?

 

Não faz muito tempo que foi criado o curso de Tecnólogo em Segurança do Trabalho e agora surge um novo Projeto de Lei 6179/09 de autoria do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), que institui o o bacharelado em segurança do trabalho, com os títulos de bacharel e de agente superior.

O projeto inclui dispositivos na Lei 7410/85, que trata da profissão de técnico de segurança do trabalho e da especialização de engenheiros e arquitetos na área. 
Ainda segundo o projeto, o objetivo é formar profissionais de nível superior com melhor qualificação do que a de técnico em segurança do trabalho, previsto na legislação trabalhista vigente.
O autor afirma: “é necessário formar um profissional de curso superior capaz de exercer atividades que se ajustem à nossa época, diante da complexidade das exigências sociais do mercado de trabalho”. Ora, me digam quantos tecnólogos em segurança do trabalho (que também é um curso superior), estão trabalhando como tecnólogo e ganhando como tal? É óbvio que empresa nenhuma vai contratar um tecnólogo e, agora, um bacharel para cuidar da prevenção na sua empresa se ele pode contratar um técnico e se for o caso um engenheiro de segurança que atendem plenamente às suas expectativas em relação à prevenção de acidentes.
Se o deputado acha que os técnicos e engenheiros de segurança do trabalho não estão “aptos” para atender as legislações vigentes, então não será um bacharel que vai faze-lo. 
Pelo que tenho visto, a grande maioria dos técnicos de segurança já possuem formação superior em alguma área ligada à segurança do trabalho. Então não vejo o porque de mais um curso superior na área. O que poderia existir e aí eu creio que todos os técnicos de segurança apoiariam, seria o curso de Engenharia de Segurança do Trabalho, onde os técnicos poderiam eliminar várias matérias facilitando, assim a sua formação.
 
Veja a íntegra do processo:
PL-6179/2009 
 
VOTE EM NOSSA ENQUETE QUE ESTÁ NO INÍCIO DESTA PÁGINA.

Resultado da enquete:

63% responderam que “Acham que é totalmente  desnecessário” o curso.
23% responderam que “Acham necessário” e,
20% responderam que “Acham apenas interessante” 

Como podemos ver, a grande maioria está de acordo com o texto que escrevi. 

Bookmark and Share

Darcy Mendes Darcy Mendes (784 Posts)

Técnico em Segurança do Trabalho, graduado em Gestão Ambiental e especialização em Prevenção e Combate a Incêndio. Nas horas vagas sou músico e professor de violino!!!


49 thoughts on “Bacharelado em segurança do trabalho – o que é isso?

  1. Como diz o projeto de lei que as profissões de Técnico em Segurança do Trabalho e Eng Segurança do Trabalho serão extintos e os Técnico de Segurança e Eng de Segurança terão prioridade no novo curso nas faculdades e ensinos a distância como Bacharelado em Segurança do Trabalho

  2. O curso de bacharelado em engenharia de segurança do trabalho será muito bem vindo, pois todos os cursos de pós graduação titulam os estudantes como especialistas e somente as graduações titulam os estudantes como engenheiros. A muito tempo que se deveria corrigir esse erro de se fazer pós graduação em engenharia de segurança do trabalho e receber a titulação errada de engenheiro e sim deveria receber a titulação de especialista em engenharia. Também acho que o direito já adquirido de todos que fizeram por essa regra deveriam ser respeitados e somente após a implementação de bacharelado em engenharia de segurança do trabalho é que se deveria fazer com que a pós titulasse corretamente especialista em engenharia de segurança do trabalho.

  3. Particularmente penso que se houver um curso de bacharelado para Segurança do Trabalho que seja de Engenharia de Segurança do Trabalho, assim não haverá empecilho para que o profissional faça a pós-graduação em engenharia da segurança do trabalho, curso atualmente restrito a engenheiros e arquitetos.

  4. Criaram um curso tecnólogo em segurança sem ter área de trabalho para eles. Foi perda de tempo e dinheiro! "É uma profissão do futuro sem futuro"Nilows Técnico em Seg. do TrabalhoFuncionário Público Federal

  5. Creio que o bacharelado não mudará muito a situação, já temos o tecnólogo,que não tem espaço na lei, o bacharelado será mais uma fonte de renda para as escolas mercantilistas e, os formandos só terão espaço no mercado se optarem por trabalhar como profissionais liberais. A não ser que alterem a lei.João C. Prado – Guaiba – RS

  6. Caros amigo sou bem critico e gostaria de comunicar que os tecnólogos em segurança no trabalho alem de ter já o CBO e uma grade curricular muito rica já pode se cadastra ao conselho regional de química.é questão de tempo para estes profissionais conquiste o seu espaço no mercado de trabalho.(eles são o futuro da segurança)

  7. Uma coisa é fato, o tecnólogo em segurança no trabalho está mais apto no sentido de conhecimento para atuar que o técnico, não tem como negar. Quanto ao bacharelado, sim, é desnecessário, porém os tecnicos pelo que sei não podem fazer especializão, quanto ao tecnólogo podem, e acredito que em breve a NR 4 será reformulada, com a inclusão do tecnólogo tendo em vista que é uma profissão que não deixa lacunas, uma norma que complica a profissão, sendo que os tecnólogos são capzes e são habilitados a fazer o mesmo que os engenheiros fazem.O que percebo é que o preconceito quanto essa profissão é muito forte, e que uns não estão nem aí para o que realmente importa no ambiente laboral, que é a segurança e saúde do trabalhador. Precisam ser conscientizado.

  8. na nr 4 que trata do sesmt, já existe a divisão dos profissionais de segurança do trabalho, não vejo necessidade de criar uma nova profissão que é a do técnologo, pois não existe uma atribuição especifica onde somente esse profissional poderia ter. toda e qualquer atribuição já se encaixa dentre os profissionais já existentes segundo o sesmt, que são: o engenheiro de segurança do trabalho, o técnico de segurança do trabalho, o médico do trabalho, o enfermeiro de segurança do trabalho e o técnico de enfermagem do trabalho..

  9. Caro AndréConcordo que essa discussão é dispensável, porém não concordo quando diz técnicos não podem projetar, pelo menos no que diz respeito ao Técnico em Edificações, pode sim, conforme vemos abaixo:"O desembargador federal Luciano Tolentino Amaral, relator do processo, esclareceu que o Decreto nº 90.922/85 não deu mais do que a fiel execução à Lei nº 5.524/68, sem extrapolar, portanto, sua função regulamentar. Assim, determina, no art. 4º, em seu § 1º, que os técnicos de 2º grau das áreas de Arquitetura e de Engenharia Civil, na modalidade Edificações, "poderão projetar e dirigir edificações de até 80m² de área construída, que não constituam conjuntos residenciais, bem como realizar reformas, desde que não impliquem em estruturas de concreto armado ou metálica, e exercer a atividade de desenhista de sua especialidade".

  10. Discussão vazia! muitas linhas desperdiçadas, a necessidade de formação em arquitetura ou engenharia é imperiosa para a atuação com eng.seg, só engenheiros e arquitetos podem projetar!! isso!!! projetar é prerrogativa exclusiva de engenheiros e arquitetos, assim como fazer cirurgia é prerrogativa de dentistas e médicos, nunca será visto um técnico ou tecnólogo projetando, pois este projeto jamais será registrado no CREA ou CAU, portanto o profissional que projeta equipamentos de proteção coletiva, layouts, elabora laudos técnicos, projeta e assina PCMAT, projeta e calcula estruturas de proteção e andaimes, assina a Anotação de responsabilidade técnica e desempenha a função de gerência de um sistema de gestão de segurança, deve e só pode ser engenheiro ou arquiteto. A formação do técnico e deste tal tecnólogo não tem absolutamente nada a ver com Engenharia e quem diz que é igual nunca fez uma pós em engenharia de segurança ou sequer trabalhou com algum engenheiro de segurança sério. Contra fatos não há argumentos esta discussão já se esvaziou antes de iniciar. E a NR4 não mudará e sequer a lei 7410. Fim.

  11. Acho justa e louvável a iniciativa do deputado Bonifácio de Andrada. Não acho que os tecnólogos deveriam ser desprezados pelos técnicos e engenheiros. Todos devemos ter espaço no mercado de trabalho. São formações diferentes, níveis hierárquicos diferentes. O que nos falta é um conselho só nosso. E se surgirem outros cursos técnicos, tecnólogos e superiores na área de segurança do trabalho, serão todos importantes e bem vindos. Conhecimento nunca é demais! Faz quem quer, quem tem interesse de crescer profissionalmente.

  12. Prezados, ao meu ver hoje é bobagem fazer um curso de técnico de segurança do trabalho, por que? Esta vinculado ao CREA, não pode fazer isto, não pode fazer aquilo etc….diferente dos antigos técnicos que são vinculados ao Ministério do Trabalho. Vejamos tecnólogos enfiaram os caras no CREA..por que? Por que não pode assinar determinados documentos que geram um dinheirinho..e por aí vai..acredito que profissionais ligados a Segurança e Medicina do Trabalho deve ter conselho próprio da categoria ou mesmo ficar vinculado ao MTB como antigamente era feito. Se este novo curso ficar vinculado ao CREA como andam dizendo Engenharia de Segurança do Trabalho ou seja Bacharel em Segurança do Trabalho ainda não se sabe o nome correto..pode ter certeza que ainda haverá restrições leiam Substitutivo ao projeto de LEI 6179 DE 2009.

  13. É meus amigos..Não vamos falar de NR 4 ok e Sim de Ministério do Trabalho, que já tem como reconhecida a classe de Tecnólogos de Segurança do Trabalho, inclusive vcs podem verificar no próprio site do MTB e de forma muito clara o que compete ao Tecnólogo e o que compete ao Engenheiro, maioria o que um faz o outro também, exceto onde se existem cálculos planta de bombeiro que é obvio que é de coisa de Engenharia, porém existem itens que somente o Tecnólogo pode fazer o Engenheiro não. Esqueçam CREA. Quanto ao Bacharelado em Segurança do Trabalho, já existem 3 ou 4 Faculdades oferecendo o curso..o Tecnólogo que planeja fazer, não haverá necessidade que realizar todas matérias novamente…sendo assim reduzindo as boa parte delas..para adquirir a Graduação Plena. Logicamente o CREA vem batendo forte neste Bacharelado desde 2009..para tentar derrubar o curso…sou como nossa amiga Susy e penso da mesma forma..mas infelizmente se envolve dinheiro..Se lembram quando foi instituído o LTCAT só feito por Engenheiro…virou uma industria de Laudos que de certa forma ainda continua..muito Engenheiro ficou rico…rsrs e sabemos que é a mesma coisa..como o LTCAT ficou quase extinto vem a balela que técnico não pode assinar..alguns documentos etc…conclusão..lá vai nosso dinheirinho de novo..rsrs Abraços a todos.

  14. Boa Noite Para Todos eu estou cursando o curso Superior Tecnólogo em Segurança no Trabalho e vejo esse curso como mais um pra somar nas equipes de SST das Organizações. E pra que querer dividir se podemos multiplicar?

  15. ESTOU CURSANDO EM TECNOLOGO EM SEGURANÇA DO TRABALHO, E VEJO QUE AS PESSOAS ESTÃO MUITO DESINFORMADOS PELA ATUAÇÃO DOS CURSOS. VAMOS NOS UNIR E PARAR DE CRITICAR E FALAR MAL DE CADA AREA CURSADA. TODOS SOMOS IMPORTANTES, TANTO TECNICOS COMO TECNOLOGOS E ENGENHEIROS, LEMBRAM DAS AREAS DE TECNICOS EM EMFERMAGEM, EMFERMEIROS E MÉDICOS, TODOS TEM SUAS FUNÇÕES E VALORES. E JÁ TRABALHEI MUITO TEMPO EM UM HOSPITAL E TAIS FUNCION. NENHUM DELES DISCRIMINAVAM OS TEC. DOS ENFERMEIROS POR TEREM UM GRAU DE ESCOLARIDADE DIFERENCIADO. TODOS COM RESPEITOS UNS AOS OUTROS.ENTÃO GALERA DOS MESMOS SEGURANÇA DO TRABALHO, NÃO IMPORTA QUAL CURSO TEMOS O QUE VALE É QUE ESTAMOS TRABALHANDO ESTUDANDO E NOS CAPACITANDO PARA FAZERMOS ALGO QUE GOSTAMOS E COLABORANDO PARA UM BRASIL COM QUALIDADE NAS EMPRESAS. VAMOS FAZER A DIFERENÇA PARANDO DE CRITICAR E SENDO UMA CLASSE DE EDUCAÇÃO E COM VALORES, PARA QUE TODOS NOS OLHEM COM SATISFAÇÃO E DESEJO DE TER NOSSOS TRABALHOS. UM GRANDE ABRAÇO A TODOS QUE ADEREM A ESSE MOVIMENTO DE IGUALDADE CARINHO E RESPEITO, SOMOS UMA MESMA FAMÍLIA. QUE TENHAMOS UM FUTURO MARAVILHOSO, VCS VÃO VER COMO IREMOS PROGREDIR, ACREDITEM É QUESTÃO DE TEMPO, E TODOS PRECISAMOS UM DO OUTRO. TCHAU…

  16. E ai Darcy, blzaJá sou TST FORMADO, poderia por favor me indicar algumas escolas de formação em Tecnólogo em Segurança do Trabalho.Apoio a ideia do curso de Engenharia de Segurança do Trabalho.Parabéns pela discução senhores(a).

  17. Para efeito de se conseguir um emprego como técnico tem que ser o curso de Técnico em Segurança do Trabalho. Depois você faz um curso superior ligado à área.A NR4 menciona o Técnico de segurança e não Tecnólogo. A vantagem do tecnólogo é o de ser um curso de graduação, mas não é o suficiente para se conseguir um emprego de técnico depois. Então, não vejo vantagem nisso!

  18. Darcy, eu quero começar a fazer o curso técnico em Segurança do Trabalho ano que vem, no Senac de Presidente Prudente.Eu andei pesquisando sobre esse curso, e vi que é um curso bom, e com grande mercado de trabalho. Mas esse tal de curso Tecnologo em Segurança do Trabalho me deixou em dúvidas.Qual a vantagem ainda que um técnico tem em relação ao tecnólogo em relação a essa profissão, para o mercado de trabalho?Nesse caso, seria melhor eu fazer esse curso técnico e depois fazer o curso de tecnólogo?Por favor me ajuda.Obrigado

  19. acredito ser mais facil o tecnologo de seguranca conseguir eliminar materias neste hipotetico curso de bacharel do que os tecnicos pois a hierarquia grade de nivel superior e diferente do nivel tecnico. Agora vamos combinar o seguinte;nada contra os engenheiros, pelo contrario os caras sao bons so por ter feito uma faculdade deste nivel, Agora somente 1 ano de pos nao da conhecimento nem base suficiente para poder discutir nem com um tecnico, Ja o curso de tecnologo por ser de 3 anos agrega muito mais bagagem profissional para o cargo de nivel superior se torna mais interssante,mas isso deve ser avaliado com mais profundidade, razoabilidade em analisar; sem preconceito para um nem status demais para o outro, mas com seriedade e com bom senso.

  20. Creio que será uma questão de tempo mesmo. A regulamentação do curso de Eng. Segurança do Trabalho vai criar possibilidades não só para os que desejam graduação e atuar na área, mas também vai abrir novas oportunidades para instituições de ensino(particulares), ou seja, vai haver jogo de interesses com certeza. Mas com certeza, assim como é para os TST, o grande diferencial entre os profissionais vai ser a pró-atividde e constante atualização/aperfeiçoamento. Rodrigo Lourenço – TST

  21. Caro Amigo;Diagnóstico:1- Discordo plenamente em criar um curso de Engenharia de Segurança no Trabalho para benificiar quem já é técnico de seg isso não existe.;2- Quanto atingir o objetivo pelo caminho mais curto, diante de disciplinas (FÚTEIS), talvez seja um complicador no futuro.

  22. Sou a favor que venham a CRIAREM um curso de Engenharia de Segurança do Trabalho,PARA quem já é TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO. Onde os técnicos poderiam eliminar várias matérias (fúteis),REDUZINDO assim a duração do curso facilitando,a formação em Engenheiro de Segurança.Luis AntonioTéc. em Seg. do Trabalho (Guarulhos/Sp)

  23. O correto seria um curso de engenharia de segurança do trabalho, onde os já técnicos eliminariam matérias, pois pouco mais de 500 horas de pós não dão conhecimento suficiente para um engenheiro de segurança.

  24. Concordo plenamente com formação do curso, já perdemos muito tempo com a criação do curso de tecnólogo que irá no mesmo caminho do técnico de segurança no contexto da valorização.

  25. sou tecnologo em segurança no trabalho , não vejo o pq de agredir os tecnicos , devemos unir e lutar por melhores condiçoes de salarios , e quanto ao reconhecimento , ha varios desinformados , ja foi reconhecido a tempo , pelo CREA , MEC , então pow parem de se debater , praticamente trabalhamos na msm area , vamos unir forças e lutar por melhores condiçoes de trabalho

  26. Boa Noite;No decorrer dos anos paro para analisar e verificar o quanto está classe é desunida, supreendo-me cada vez mais quando leio os textos acima e vejo técnicos, tecnólogos e engenheiros uns agredindo aos outros e vice-versa, ou seja, buscando respostas incomprencíveis. Resumo:a)Nenhum profissional técnico independente do nível de formação não sabe nada de prática operacional de SST, ou seja, isto só ocorrerá no decorrer dos anos após muita dedicação e/ou ralação amigos tem que ter vocação, vontade de aprender e querer aprender, além de enxergar o que invisível.b)Quanto ao profissional técnico que se especializa-se em tecnologode segurança no trabalho não vejo porque agredi-los requalificar-se no mundo de hoje globalizado é um diferencial entanto o pior é ficar estagnado.(reflitam);c)Quanto ao tecnólogo preocupar-se com os técnicos acho perda de tempo, pois ainda terão uma jornada longa pela frente. Acho que o caminho do sucesso se da em parcerias e não com diferenças então não agrida seus parceiros, calçem as sandálias da humildade e explorem os conhecimentos técnicos destes profissionais, pois no futuro serão profissionais invejados, ou seja, cobiçados no mercado independente de registros no Mte e/ou CREA isso é fato.c)Quanto aos engenheiros não compreendo o porque de tanta precupação, visto que suas justificativas são sempre as mesmas possuimos uma grade escolar com uma carga horária superior de ambos os profissionais acima, além de uma especialização fantástica. Então, pergunto o por quê de tanto receio? Entendo que não devam se preocupar com a NR 04 não é? Conclusão: Neste mundo independente das graduções de nível médio, superior de curta duração ou Graduação superior, APENAS, os bons sobrevivem. um abraço a todos!

  27. UMA COMPLEMENTAÇÃO ÀS AFIRMAÇÕES DO AMIGO JOÃO GALLANIQUANTO AO TECNOLÓGO DE SEGURANÇA DO TRABALHO, DUAS INFORMAÇÕES IMPORTANTISSIMAS: JÁ POSSUEM O CBO, CÓDIGO 2149-35 NO DIA 13 DE DEZEMBRO DE 2010 – 9:54hs CONFEA BRASILIA – DF, SOB O PROTOCOLO 4821/2010 A PROPOSTA No 027/2010 – CCEEST, QUANTO A ALTERAÇÃO DA RESOLUÇÃO 473/2002, PARA INCLUIR NA TABELA DE TÍTULOS PROFISSIONAIS O TECNOLOGO DE SEGURANÇA DO TRABALHO, COM O CÓDIGO 414-01-00 ( CREA ).A ALTERAÇÃO DO QUADRO DO SESMT ( A TABELA DA NR-4 – DIMENSIONAMENTO DO QUADRO PROFISSIONAL ), SERÁ PORTANTO APENAS UMA QUESTÃO DE TEMPO.TECNOLOGOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO SEJAM BEM VINDOS!!!!ANILTON REISENGo DE SEGURANÇA DO TRABALHO

  28. Prezados Senhores,O CONFEA em reunião realizada em Brasília nos dias 09 e 10 de dezembro de 2010 ( http://www.confea.org.br/publique/media/Proposta0… ), resolveu por um fim em nossa busca por reconhecimento.Através da Proposta 027/2010 CCEEST solicitam a alteração da RESOLUÇÃO 473/2002, para que assim tenhamos também direito ao registro no CREA estadual, da mesma forma que o CRQ já o faz.PARABÉNS CONFEA, nada mais justo que possamos ter liberdade para trabalharmos em nossa plenitude de conhecimento.NR 04?Agora será uma questão de tempo. Feliz 2011 para todos.João Gallani JuniorTecnólogo em Segurança do TrabalhoPós e MESTRANDO EM PREVENÇÃO DE RISCOS LABORAIS

  29. Enquanto a NR 4 continuar com a formatação atual, não adianta criarem mais profissões prevencionistas, porque não têm amparo legal. Serão mais trabalhadores "graduados" e sem emprego.

  30. Bacharelado é a nova designação do MEC para os cursos universitários de graduação plena, e quem fizer o curso de engenharia de segurança do trabalho modalidade bacharelado (ou se quiserem o curso de engenharia de segurança do trabalho modalidade graduação plena, o que é a mesma coisa), receberão o título de engenheiro de segurança do trabalho.Vivaldo MendesEngenheiro de Segurança do TrabalhoTécnico de Segurança do Trabalho

  31. Caro Vivaldo, como deixei claro em meu texto – sou a favor sim, e relação ao curso de Engenharia de segurança, pois isso beneficiaria os técnicos formados que já possuem uma carga horária maior do que a pós do engenheiro. Quanto ao bacharelado ser igual a engenheiro pode ser na teoria, mas na prática é bem diferente – tenho um amigo bacharel em química e que trabalha como tal, porém o seu salário está bem abaixo do Engenheiro Químico – por isso a minha desconfiança nesse tipo de curso que no final acaba não trazendo nenhum benefício a nós atuais técnicos. Tenho visto alguns técnicos de segurança que fizeram o curso de tecnólogos e agora já tem empresas exigindo tal curso, o que é um absurdo, tendo em vista que a profissão do técnico já está regulamentada há muito tempo, portanto, tal exigência é em função desse curso que não acrescentou nada à profissão, com exceção do título de curso superior que bem poderia ser o de Engenheiro de Segurança do Trabalho.

  32. Caro, a nova denominação do MEC para Cursos de Graduação Plena é Cursos de Bacharelado.Você concorda com um Curso de Engenharia de Segurança do Trabalho normal (Curso de Graduação Plena em Engenharia de Segurança do Trabalho), e hoje o MEC denomina tal curso como Curso de Bacharelado em Engenharia de Segurança do Trabalho.Quem faz o de Curso de Bacharelado em Engenharia de Segurança do Trabalho ganha o titulo de Engenheiro de Segurança do Trabalho.O MEC toda hora muda a sua nomenclatura, veja no meu tempo se tinha primário, ginásio, e cientifico. Depois passou para primeiro grau e segundo grau. Agora se não me engano é ensino fundamental, ensino básico e ensino médio.Graduação Plena em Engenharia de Segurança do Trabalho = Bacharelado em Engenharia de Segurança do TrabalhoEu sou a favor se ter o Curso de Bacharelado em Engenharia de Segurança do Trabalho.Prof. Vivaldo Mendes de SouzaEngenheiro de Segurança do TrabalhoReg. CREA-RJ: n.º 791.001.750/DTécnico de Segurança do TrabalhoReg. MTE-RJ: n.º 11.921Bombeiro Profissional CivilReg. CBMERJ: n.º 271/08

  33. Na verdade nunca deveria ter existido a função de engenheiro de segurança do trabalho. Primeiro por que a segurança do trabalho está muito mais ligada a comportamento (ciências humanas) do que a engenharia (ciências exatas). Segundo lugar, o engenheiro ou arquiteto faz uma pós de 360h e está pronto, virou engenheiro de segurança que coisa legal, mas na verdade não sabe de nada de segurança, 360h não é nem a primeira fase do curso téc. em seg. do trabalho, pois o curso todo gira em torno de 2.000h. Por favor me desculpem a franquesa mas a maioria dos eng. de seg. só serve para assinar documento e ficar no orkut/msn o dia inteiro. Mas também não concordo plenamente com essa lei, pois o mais correto seria extinguir a função de "Eng. de Seg." e só existir o Superior em Seg. do trabalho e o Téc. de Seg,, onde pessoas de nivel superior na area de saude e humanas fariam uma pós em segurança do trabalho dando prioridades aos técnicos de segurança, pois esses possuem experiencia na atividade.

  34. Olá caros colegas,Li o artigo e achei deprimente o tom como o autor trata os TST's, assim como os 2 ultimos comentarios, acredito que é imprescindivel para a profissao a luta dos que acreditam no sucesso dela. Pois nada é conquistado tão fácil. Muitas pessoas podem achar desnecessario, mas acredito que desnecessario é a especialização do Eng.. Não há comparação com o curso de TST, afinal 6 meses e pouco não se compara com 3 anos de muito conhecimento adquirido. Os Eng. meio que pulam de paraquedas na area de segurança. Acredito que ou criam uma engenharia propria (o que acho impossivel, afinal segurança é area de pra gestão e nao exata.) ou retiram a especialização e a nomeação de Eng de Segurança e deixa como superior apenas o TST. As pessoas são tão contra ao curso de TST que passa a ser ignorancia, não há só uma relação de lucros por parte das universidades, há sim uma forte necessidade do Brasil, carente ainda de eficiencia em segurança, para se tornar uma nação melhor, somos uma nação mediocre que passa tanto tempo discutindo se necessario é ou não uma coisa tão obvia. Os paises desenvolvidos, como a Australia, dão o maior apoio aos cursos tecnologos pois são de curta duração e dão apoio a aulas praticas, o que supri as necessidades do mercado que está fervoroso. Estou no 3° semestre do Tecnologo e sei que até o dia da minha formação, não encontrei espaço no mercado de trabalho, serei vista como uma tecnica e remunerada como tal, mas eu não estou tão preocupada com isso, pois assim como eu existem pessoas que estão lutando para o reconhecimento da area e sucesso da mesma e é claro mostrar para o mundo que o Brasil é bom no que faz, só precisa de um empurraozinho.. rsAbç a todos.

  35. EU FAÇO CURSO DE TECNOLOGO E ESSA PROFISSAO VAI TER FUTURO COM CERTEZA.VAMOS SER PROFISSIONAIS DE GRANDE GABARITO.EXISTIAM UM TEMPO ATRAS O TECNICO CONTABIL.HOJE O CONTABILISTA FORMADO SUPERIOR,,VAI ACONTECER O MESMO COM A AREA DE SEGURANÇA..UM ABRAÇO A TODOS

  36. Senhores (as).Tudo depende do lado que se escolher estar. Quando na década de 80, o governo alterou a grade de estudo do Supervisor de Segurança no Trabalho, criando o Técnico em Segurança no Trabalho, o mesmo mal estar foi criado, logo em seguida surgiu a pós para engenheiros.Bom, foram seis anos aproximadamente de confusão, o mercado acertou-se e todos tiveram o seu canto para trabalhar, principalmente após a lei 7410 de 1985.Falam do Tecnólogo em Segurança no Trabalho, o início do curso remonta o ano 2003/2004, a primeira turma recebeu o diploma no ano de 2008.No ano de 2009, o CRQ (Conselho Regional de Química) começou a registrar os referidos profissionais, pois de acordo com RN nº 198 de 17/12/2004, o profissional de segurança tem que fazer o registro no Conselho de Química, esta RN tem como fundamentadora a LEI No 2.800, DE 18 DE JUNHO DE 1956 e o DECRETO Nº 85.877, DE 7 DE ABRIL DE 1981, pelas quais a área de segurança no trabalho é atribuição dos profissionais de química também.Então vejam, fazer um curso de graduação na área de segurança no trabalho não tem nada de absurdo, simplesmente é resultado da evolução de nossa área de trabalho.Supervisor de Segurança (CBO 3516-05) tinha carga horária de 170 horas (anos70/80).Técnico de Segurança no Trabalho (CBO 3516-05) tem carga horária de 1.600 horas (complemento do 2º grau).Pós em Engenharia de Segurança no Trabalho (CBO 2149-15) tem carga horária aproximada de 640 horas (especialização).Tecnólogo em Segurança no Trabalho (CBO 2149-35) tem carga horária aproximada de 2.800 horas (graduação superior).Dêem uma olhada nas leis e nos CBO’s acima mencionados.João Gallani JuniorTécnico em Segurança do Trabalho (há 26 anos)Tecnólogo em Segurança do Trabalho (há 3 anos)jgallani@gmail.com

  37. Caros Colegas , sou Técnico de segurança a mas de 17 anos e junto com outros técnicos pleiteamos esta especialização para os TST e o que vimos foi a criação de um curso genérico de Técnologo levando a muitos a perderem dinheiro nesta graduação onde alunos eram levados a ilusão que estariam se especializando em uma área que lhes dariam uma garantia de emprego futuro , ocorre que o curso de técnologo não possui uma formação técnica especifica exigida pelo mercado de trabalho trabalhei com alguns tecnologos que se quer tinham noção da área operacional , como liberar manutenção de trabalhos em tanques de combustivel, ambientes confinados , EEE, detonação de rochas , etc… eram pessoas fantasticas mas sem o minimo de preparo para trabalhar como técnicos de segurança na área operacional pois não tinham base cientifica e técnica para exercerem tal função a não ser dentro da área administrativa de recursos humanos . E considero justo a intenção de coroar os Técnicos de segurança de carreira com prioridade paraesta especialização . considerando que a proliferação de cursos de técnicos e tecnologos de segurança do trabalho vem mostrando uma realidade de qualidade duvidosa em cursos presenciais e a distância onde se objetiva apenas o diploma e o lucro (alunos , Escolas e faculdades)

  38. Conforme comentário anônimo acima, eu concordo plenamente que deve haver sim, o curso de Engenharia de Segurança e acabar com esse negócio de especialização. O que não concordo é com o curso de Bacharelado e expliquei o porquê no texto. Será apenas mais um curso. Você não será nem técnico e nem engenheiro. Pergunte se existe algum tecnólogo em segurança do trabalho, exercendo a profissão como tal? É claro que não. A lei não pede tecnólogo e nem bacharel. Ela pede Técnicos de Segurança e Engenheiros de Segurança. Quem está entre esses dois aí, não vai conseguir emprego nunca de acordo com sua formação. A menos que a lei toda (NR4) seja totalmente reformulada, esse curso servirá apenas para encher o bolso de alguém por aí e nada mais.

  39. Eu defendo essa idéia já faz seis anos pois fiquei indgnado de ter feito 5 anos de Eng. e mais 1 ano e meio de Especialização, porque não criar o bacharelado? não vejo nenhum problema pois em MG já existe uma universidade que já adotou o Bacharelado e Seg. do Trabalho a Eng. Ambiental não existia hj existe e inclusive sou Eng. Ambiental e defendo sim tem que existir a Eng. de Seg. do Trabalhopois é uma vergonha existe bons profissionais como Téc. em Seg. do Trabalho que lutam e lutei na epoca em que eu era Téc. e até hj. não há um Conselho, aconselho a todos a realizar esse curso e sairem como Bacharel em Seg.do Trabalho com muito orgulho, hj resistem a essa idéia mas de um jeito ou de outro o que não podemos é ficar "engessado" a leis que não atendem a uma realidade.

  40. eu particularmente creio q vai ser bom para a profissão. concordo só que um simples curso de graduação não vai elevar o nível de conhecimento na área, só o curso não, assim com os bons técnicos de hj se diferenciam pelo esforço, dedicação e especializações da área, mas acho que esse tipo de projeto deve ser visto como reconhecimento da importância da profissão, mostra q há um reconhecimento pelo profissional da área, já que há uma preocupação em especializar os profissionais atuantes para atender a crescente exigência da área

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você é um robô? *