Comportamento seguro – Em busca desse comportamento dos trabalhadores.

comportamento seguro
Comportamento seguro

Entenda como o comportamento seguro pode ajudar na prevenção de acidentes.

Buscar o comportamento seguro dos trabalhadores não é tarefa fácil, mas podemos conseguir se atuarmos de forma objetiva e planejada. Acidentes por falhas comportamentais estão entre as principais causas das ocorrências. Cada vez mais nos convencemos de que é importante atuar na mudança comportamental das pessoas para atingirmos nosso objetivo – a redução dos acidentes. Quando sentamos para analisar um acidente seja pelo método que for, sempre nos deparamos com a velha pergunta: foi ato ou condição insegura? Com tantas ferramentas de análise que temos fica fácil chegar ao veredito, porém a resposta para a pergunta acima não será a solução definitiva para o caso se este envolver uma falha humana. Os desvios comportamentais estão presentes na grande maioria dos acidentes. Assim, nossa tarefa é fazer com que as pessoas mudem suas atitudes falhas para atitudes seguras. Não é um trabalho fácil e tampouco rápido.

O planejamento deve conter:

1- Quem vai fazer o treinamento?

2- Qual público devemos atingir primeiro?

3- Formar multiplicadores;

4- Realizar observações nas áreas de trabalho;

5- Computar os dados para levantar os principais desvios;

6- Reciclar o treinamento.

Quem vai fazer o treinamento?

Aqui você vai definir sua estratégia para o treinamento. A indicação é de que seja em princípio contratada uma empresa especializada na questão comportamental (comportamento seguro). Tem empresas muito boas nessa área. Citamos aqui a SEGFAD e a Dupont. Após a primeira fase, onde são formados os multiplicadores, é possível seguir sem a necessidade de uma empresa especializada. Podendo, se for o caso, manter uma assessoria periódica.

Qual público devemos atingir primeiro?

Aqui a resposta é clara – o treinamento deve começar de cima para baixo hierarquicamente falando. Fazer com que os cargos do alto escalão da empresa vistam a camisa da “campanha” é ponto fundamental para o sucesso da empreitada.

Somente após todos os cargos de liderança terem sido treinados é que vamos treinar os demais funcionários da empresa (todos).

Formar multiplicadores.

Os multiplicadores terão a missão de disseminarem a mudança comportamental entre os funcionários atuando em conformidade com o método adquirido no curso. A cada desvio comportamental observado, o multiplicador (também chamado de observador) deve registrar em formulário próprio a ocorrência, porém só deve fazê-lo longe do funcionário (também chamado de observado).

Realizar observações nas áreas de trabalho

Este é o item mais importante do processo. Fazer observações programadas ou não, é parte do processo de aprendizado da nova metodologia. É aconselhável definir uma meta mensal de observações para cada observador até que a prática se torne um hábito.

Computar os dados para levantar os principais desvios

Fazer a tabulação mensal e dos principais desvios e elaborar um plano de ação para os casos mais críticos.

Reciclar o treinamento.

A reciclagem do treinamento deve ser feita sempre que for percebido que a prática está caindo no esquecimento. Isso pode ser controlado através do nº de observações mensais.

Conclusão
Se as etapas cima forem bem feitas, em pouco tempo poderemos ver os resultados, seja nas atitudes dos trabalhadores ou nas estatísticas de acidentes.

Apesar de sabermos da dificuldade que é mudar comportamento, o trabalho de observação comportamental é um grande aliado nessa tarefa. Outros programas podem ser executados em paralelo visando fortalecer o processo de mudança que envolve, com toda a certeza, a questão cultural também.

Vale lembrar que nem todas as pessoas estão preparadas para mudanças. É imprescindível que sejam identificados possíveis líderes negativos e que estes sejam trabalhados para assumirem uma postura positiva diante de seus comandados. Em último caso, atitudes administrativas mais drásticas devem ser tomadas para evitar que o processo de mudança comportamental não seja comprometido.

Para um trabalho mais seguro é importante que as pessoas demonstrem com suas atitudes e ações, que estão preparadas para a nova filosofia da empresa. Ou seja, assumiram de vez a responsabilidade pela sua segurança e também pela segurança de seus companheiros de trabalho, tanto dentro quanto fora da área fabril.

Darcy Mendes Darcy Mendes (772 Posts)

Técnico em Segurança do Trabalho, graduado em Gestão Ambiental e especialização em Prevenção e Combate a Incêndio. Nas horas vagas sou músico e professor de violino!!!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você é um robô? *