Gestão de SST em função do envelhecimento da população ativa

Gestão de SST em função do envelhecimento da população ativaUma realidade cada vez mais presente é o aumento de trabalhadores com mais idade dentro das empresas. O envelhecimento da população ativa é fruto da baixa renda após a aposentadoria ou mesmo da dificuldade em aposentar-se nos moldes da legislação previdenciária atual.

Na Europa isso vem ocorrendo desde o final de 90; aumentar os níveis de emprego e prolongar a vida laboral das pessoas têm sido objetivos importantes das políticas nacionais. 

O objectivo de emprego da Estratégia Europa 2020  – é aumentar a taxa da população com idade entre 20-64 anos para 75% do emprego – significa que as pessoas na Europa terão que trabalhar por mais tempo. Isso não será diferente aqui no Brasil e já estamos caminhando nessa direção há algum tempo.

Essas mudanças pode ser tanto positivas quanto negativas

É fato que trabalhadores de mais idade podem apresentar muitos atributos, tais como: a sabedoria, o pensamento estratégico, a percepção e a capacidade de deliberar. Além da experiência profissional e conhecimento que também se acumulam com a idade.

Em contrapartida algumas capacidades funcionais, principalmente físicos e sensoriais, diminuem como resultado do processo natural de envelhecimento. Isso pode ser um problema em se tratando de SST, pois na avaliação do risco é preciso levar em conta o ambiente de trabalho que podem tem que ser modificados para tratar essas alterações.

Outro problema é que isso não ocorre regularmente para todas as pessoas; portanto não são uniformes por causa das diferenças individuais no estilo de vida, nutrição, condicionamento físico, predisposição genética para a doença, nível de escolaridade e trabalho e outros ambientes.

Os trabalhadores mais velhos não são um grupo homogêneo; pode haver diferenças consideráveis ​​entre os indivíduos da mesma idade.

Para saber mais sobre esse assunto leia ESTE ARTIGO.

Avaliação de risco pensando na Idade

A idade é apenas um aspecto de uma força de trabalho diversificada. Elaborar uma avaliação de risco sensível à idade significa levar em conta as características relacionadas com a idade de diferentes faixas etárias, quanto a avaliação dos riscos, incluindo possíveis alterações na capacidade funcional e estado de saúde.

Riscos relevantes para os trabalhadores mais velhos em particular incluem:

  • Carga de trabalho físico pesado,
  • Os riscos relacionados com o trabalho em turnos,
  • Ambientes de trabalho quentes, frios ou ruidosos,
  • Atividades que exigem muita movimentação e habilidade,
  • Atividades em altura ou espaço confinado

Como as diferenças inter-individuais aumentam com a idade, a avaliação de risco deve considerar as exigências do trabalho em relação às habilidades do indivíduo e estado de saúde e não basear-se somente na idade.

Adaptação do trabalho e do ambiente de trabalho

Uma pesquisa de opinião realizada pela EU-OSHA em 2012 mostrou que uma grande maioria dos cidadãos da UE consideram que as boas práticas de segurança e saúde são muito importantes para ajudar as pessoas a trabalhar por mais tempo.

Um bom layout do local de trabalho beneficia todos os grupos etários, incluindo os trabalhadores mais velhos. Com o envelhecimento ocorrem alterações que podem ser significativas; sendo assim o trabalho também tem de ser alterado, para compensar, por exemplo, com:

  • Redesign do trabalho ou revezamento
  • Curtas pausas mais frequentes
  • Uma melhor organização do trabalho por turnos
  • Boa iluminação e controle de ruído
  • Bom design ergonômico de equipamentos, etc.

Repensando a segurança e saúde dos trabalhadores

Não podemos negar que há controvérsias em se tratando de lidarmos com pessoas mais velhas e/ou mais novas em relação à Segurança do Trabalho. Assim como vemos pessoas mais velhas que respeitam toda ordem de procedimentos e nunca quebram regra alguma, também vemos alguns que além de quebrar as regras, o fazem por pura negligência, embasando-se apenas em sua experiência de longos anos na atividade.

Para nós prevencionistas, uma população mais velhas pode significar total readaptação em nossa maneira de pensar e ver a segurança.

Quando a atividade é em solo e direcionando para comandos de equipamentos, as exigências são bem menores e por consequente, os riscos também.  Mas para algumas atividades a idade pode ser um grande problema para nós. Haja vista os setores de manutenção onde os trabalhadores se envolvem em atividades de maior risco.

Conforme já citado acima, a avaliação de risco deve ser feita com um cuidado especial se temos na equipe pessoas que já se encontram nessa situação, embora isso não seja tão simples devido a diversidade de trabalhadores em um mesmo setor.

Cabe a nós considerar os detalhes de cada atividade e seus possíveis executores, procurando aumentar o nível de segurança em relação aos padrões atuais, tornando assim o trabalho mais seguro para essa população ativa.

Fonte – https://osha.europa.eu/

E na empresa que você trabalha; existem trabalhadores considerados dentro dessa categoria?

Há algum tratamento diferenciado?

Deixe sua opinião sobre o texto!

Darcy Mendes Darcy Mendes (772 Posts)

Técnico em Segurança do Trabalho, graduado em Gestão Ambiental e especialização em Prevenção e Combate a Incêndio. Nas horas vagas sou músico e professor de violino!!!


One thought on “Gestão de SST em função do envelhecimento da população ativa

  1. Prezados senhores, bom dia! Estou com o relator. Tornar o trabalho mais seguro, consciente que os trabalhadores tem mais experiência, porém, com mais idade, detalhando as tarefas por função, para dar maior segurança aos colaboradores de um modo geral. Obrigado!
    Atenciosamente,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você é um robô? *