Iniciando na profissão de tecnico de segurança

Recentemente recebi a seguinte pergunta de um leitor do Tem Segurança:

Iniciando na profissão de técnico de segurançaEstou iniciando na profissão de tst, e bate aquele frio na barriga; por onde começar? Teria como você compartilhar como foi teus primeiros anos de profissão e quais metodologias você desenvolveu e desenvolve na área?
Pois é!!! Frio na barriga eu também passei e não foi uma vez só; nossa profissão é cheia de imprevistos! Isso parece um paradoxo, pois trabalhamos com prevenção e acabamos por não conseguir planejar totalmente nossas atividades.

Meu início
Já escrevi sobre isso outro dia, mas meu início foi bem tranquilo, pois eu era apenas o mais novo de uma equipe de dez Técnicos. Eu não estava sozinho. Meus colegas me ajudaram bastante. Isso não quer dizer que não tive que enfrentar várias situações que me deixaram com aquele friozinho na barriga. Por exemplo:
– Primeiro treinamento (elaboração e execução);
– Primeira reunião de segurança (só tinha cobra criada);
– Primeira entrada em um espaço confinado (caldeira);
– Primeiro treinamento de trabalho em altura (rapel);
Enfim, foram muitos os momentos em que senti medo. E não é vergonhoso dizer isso, pois o medo nos deixa alerta; nos faz mais atentos aos detalhes.

Sozinho na estrada
Para quem não tem uma equipe apoiá-lo, a jornada é muito mais difícil. Recebo muitos emails de colegas que não sabem o que fazer, por onde começar, quando chegam em uma empresa. É importante nesse momento contar com o apoio dos colegas que estão por aí, seja nas outras empresas ou na internet. É por isso que procuro responder todos os emails e contatos que recebo.
É interessante que você tenha um network, seja através de sites, redes sociais, fóruns, etc. Assim não se sentirá tão sozinho e terá sempre com quem contar.
Metodologias de trabalho
Não existe um método infalível que pode ser aplicado a todas as empresas. Isso porque as características são diferentes, as culturas são diferentes. Nesse ponto eu sugiro que seja feito um diagnóstico de segurança em cima das NR e veja:
O que a empresa já atende:

  • Está correto? Precisa de ajustes?

O que a empresa ainda não atende:

  • Quais são? Defina as prioridades.

Alguns exemplos:

  • A empresa atende os requisitos da NR11?
  • Quais são os principais gaps da empresa em relação à segurança?
  • Existe a possibilidade de sanar algum desvio com recursos próprios?

Tenha em mente que praticamente tudo que você anotar em relatório, terá algum custo. Sendo assim, sugira começar com os desvios que são mais fáceis de eliminar.
Uma coisa que aprendi e compartilho com todo mundo:
Conseguir um aliado é tarefa árdua, mas se você fizer um inimigo, em questão de horas terá uma legião deles contra você.

Nunca perca de vista que o seu principal “material de trabalho” é o ser humano. Convença as pessoas de que você está lá para ajudá-las e terá muitos aliados. Isso não será fácil, mas foi assim que sempre trabalhei, e está dando certo até hoje.
Se tivesse que definir minha metodologia de trabalho eu diria que, ouvir as pessoas foi e sempre será o meu carro chefe.
Contando história
Ainda outro dia, fui transferido para uma nova unidade e, ao chegar lá, a primeira coisa que notei foi o empilhadeirista não utilizando o cinto de segurança. Parei ele para conversar, mas não falei do cinto. Fiz várias perguntas sobre o seu trabalho, quanto tempo trabalhava na empresa, a quanto tempo era empilhadeirista, etc e tal. No final da conversa perguntei se ele alguma vez já usou o cinto. Ele disse que sempre usava, mas que havia esquecido de colocá-lo. Dei uma olhada no cinto e percebi que há muito tempo ninguém o utilizava, mas não disse nada para ele. Isso aconteceu a cerca de quatro meses – nunca mais o vi sem o cinto.
O que eu quero demonstrar com isso, é que com atitudes mansas é muito mais fácil vencer os desafios que nossa profissão nos impõe.
Recomendações
Não queira imitar ninguém. Seja você mesmo. Procure ser duro com o evento e não com as pessoas. É óbvio que alguém fica chateado quando temos que tomar alguma medida, mas saiu dali, seja amigo de todos. Nunca deixe que uma barreira se forme entre você e os trabalhadores.
Fazendo assim, tenho certeza que irá bem e fará um bom trabalho onde quer que estiveres – seja sozinho ou em uma equipe de dez ou vinte profissionais!

Se algum colega quiser deixar sua experiência de quando iniciou na profissão, faça uso dos comentários, pois estará ajudando aos colegas que são novatos como Técnico de Segurança do Trabalho.

Darcy Mendes Darcy Mendes (772 Posts)

Técnico em Segurança do Trabalho, graduado em Gestão Ambiental e especialização em Prevenção e Combate a Incêndio. Nas horas vagas sou músico e professor de violino!!!


6 thoughts on “Iniciando na profissão de tecnico de segurança

  1. Bom dia

    Darcy li sua postagem adorei seus comentários

    no momento em que se refere estar na estrada sozinho , é assim que me sinto trabalho sozinha muitas vezes me sinto perdida sem saber o que devo fazer
    me julgo todos os dias se sou uma boa profissional ,sou nova na área estou encontrando muitas dificuldades
    mais Deus esta no comando e mostrara o caminho certo

  2. Olá Darcy, parabéns p/ seus comentários “como se comportar em um ambiente de trabalho” o TST, tem que de acordo c/ às NRs, e com os colaboradores têm que ter jogo de cintura saber conversar.

  3. Acredito que um bom embasamento para se ter noção da empresa onde irá trabalhar, são os documentos de Base, como pr exemplo o PPRA.
    Ali você tem todas as atividades executadas pelaa empresa e os riscos levantados.
    Com base nessas informações voce pode criar seu plano de ação procurando as parcerias internas (funcionários) que estão dispotos a nos ajudar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você é um robô? *